A MINHA DOR

Fevereiro 28, 2007

chorar1.jpg

 
Eu tenho em mim a dor que me corrói,

Sei também o nome desse mal

Doença que carrego há muito e dói,

Que me há-de matar qual animal!

 

Fui amor e desencanto, ao mesmo tempo,

Fui onda gigantesca em alto Mar

Porém não resisti, perdi alento,

Hoje sou réstia de mim, sempre a penar…

 

Fui a árvore pujante e vigorosa!

Hoje toro velho e carcomido

Já não tendo o vigor que tinha outrora

A um velho tronco resumido…

 

Com esta dor tamanha que suporto,

Porém não vou morrer de desalento!

Voarei por esse mundo mesmo torto,

Buscando dentro dele, outro alento…

Anúncios

8 Responses to “A MINHA DOR”

  1. maga Says:

    Olá, estive a passear no teu blog e, confesso que senti uma enorme nostalgia desse personagem que escreve maravilhosamente bem!
    Diria que és prisioneiro do passado! Traz a tua energia para o presente, aqui e agora, Arruma o passado e partilha o presente! Este ano é o ano 9, para fechar ciclos! Aproveita essa energia.
    Bj e parabens pela tua escrita!

  2. papagaio Says:

    Olá maga!
    Muito obrigada pela tua visita, e pelas tuas palavras.

    De facto…existe alguma nostalgia nos meus textos.
    Tento exorcitar, melancolias e tristezas, enraizadas dentro de mim…Porém, tento ganhar novo alento, para novas viagens, novos caminhos…

    Beijinhos

  3. r.filgueira Says:

    realmente – no presente nao esta quase ninguem vivem em passados inalteraveis e futuros inexistentes.
    um xi

  4. papagaio Says:

    Olá rosarinho!

    Sabes…não é fácil esquecermos a dor que nos atormenta. Todos nós temos essa dor, que nos amargura a alma. Porém…estou no presente, em busca do futuro, como aliás todos nós.

    Há sempre futuro minmha amiga! Esse futuro somos nós que o construimos, agora no presente, não tenhas dúvidas disso!

    O futuro…somos nós que o construimos, seja ele qual for…

    Beijinhos

  5. r.filgueira Says:

    nao estou de acordo. nem sempre há futuro. Nao sabemos quando iremos morrer.
    nao tenho nenhuma dor que me amarga a alma,tenho bem resolvido o pasado.
    bem pelo contrario, estou no presente bem feliz e despreocupada com o futuro que esta por vir.

    o poder do presente é enorme. pense lá outra x

    um xiiiii

  6. papagaio Says:

    Ainda bem para ti, que não tens nada que te tivesse magoado no passado. Se calhar ainda és nova de mais, para teres esse tipo de preocupações. Ou então foste uma sortuda, que tudo te correu sempre bem! Ainda bem para ti. Eu já não posso dizer o mesmo.
    Quanto a não haver futuro! Minha cara amiga! Aquilo que hoje fazemos…é o futuro! Amanhã, já é o futuro de hoje! E hoje…é o futuro de ontem. Há sempre futuro minha amiga.

    Beijinhos

  7. r.filgueira Says:

    uma senhora nao tem idade, mas sou a sogra da prima do fontez… pelo menos dores de parto ja tive. Deduzo que nao lhe morreu ninguem recentemente, nem tem algum familiar bem proximo com prazo de vida. Nao quero dar pena a ninguem quero dar força.
    Sabe poeta é um fingidor…
    fique bem

  8. papagaio Says:

    Rosarinho, o poeta é um fingidor, dizes tu!
    É fingidor. Quando sonha com utopias, quando fantasia emoções, aí é fingidor…
    Agora…quando diz o que lhe vai na alma, quando está desiludido, quando sofre de desamor, não está e inventar fantasias, não está a sonhar com utopias, não é um fingidor…
    Quem não consegue destinguir a fantasia da realidade, e pensa, que o poeta não sofre, não tem sentimentos, não é humano…não entende a poesia!

    Beijinho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s