AMIGOS!?

Março 22, 2007

 

amigos.jpg

Amigos!? O que são amigos?

Serão…conhecidos!

Amigos de ocasião, de interesse, ou circunstância!

Das farras, das noitadas, dos copos…!

Serão estes os amigos? Ou serão aqueles!

Que nos ajudam, nos apoiam, nos confortam,

Riem, choram…

Nos dão o ombro…quando dele precisamos,

Nos bons, e nos maus momentos?

Se forem estes! São verdadeiros amigos

Agora!

Se forem os primeiros…os outros!

Os conhecidos, os de ocasião, de circunstância

Que se dizem nossos amigos, mas nunca estão disponíveis,

Nunca atendem o telefone, nunca têm tempo!

Se forem esses?

Então para que precisamos de inimigos?

Anúncios

3 Responses to “AMIGOS!?”

  1. Ludovicus Rex Says:

    O Mau Também Pode Ser um Bom Amigo

    É possível que os maus sejam entre si prazenteiros, não enquanto maus ou nem bons nem maus, mas enquanto, por exemplo, ambos são músicos, ou um é melómano e o outro cantor; e enquanto todos têm algo de bom e nisto se harmonizam entre si poderão, ademais, ser reciprocamente úteis e prestáveis, não em sentido absoluto, mas em vista da sua escolha, ou enquanto não são nem bons nem maus. É igualmente possível a um homem de bem ter um amigo medíocre; cada qual pode, de facto, ser útil ao outro em vista da escolha, o medíocre pode apoiar utilmente o projecto do bom, e este último pode secundar com utilidade o projecto do incontinente e do mau em conformidade com a sua natureza; e desejará para o outro as coisas boas: em sentido absoluto as coisas absolutamente boas e, de modo condicional, os bens que são tais para aquele, enquanto o ajudam na pobreza ou nas enfermidades, e estes em vista dos bens absolutos: como, por exemplo, tomar um remédio; não o quer, de facto, por si mesmo, mas em vista deste fim determinado.

    Além disso, [o bom pode ser amigo do medíocre] naqueles modos em que também os não bons seriam entre si amigos. Pode um, de facto, ser aprazível não enquanto mau, mas enquanto partilha uma das propriedades comuns, por exemplo, se é músico. Também enquanto em todos há algo de bom; por isso, alguns associam-se, inclusivé, ao homem bom. Ou enquanto se acomodam a cada qual: todos têm, de facto, algo de bom.

    Aristóteles, in ‘Ética a Eudemo’
    Um Abraço

  2. Ludovicus Rex Says:

    Desculpa voltei ainda com mais uma… 🙂
    A felicidade de um amigo deleita-nos. Enriquece-nos. Não nos tira nada. Caso a amizade sofra com isso, é porque não existe…
    Um abraço

  3. papagaio Says:

    Gostei desta segunda parte do comentário. Concordo em pleno com ela.

    Um abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s